sexta-feira, 18 de maio de 2012

sábado, 5 de maio de 2012

[CONCURSO] Transpetro abre vagas para níveis Médio e Superior

Jornal o Dia Online
Por Priscila Belmonte - 15/04/2012


Transpetro abre vagas para níveis Médio e Superior

Saiba quais serão as matérias mais cobradas nas provas objetivas, previstas para serem aplicadas no dia 10 de junho

POR PRISCILA BELMONTE

Rio - A área de petróleo e gás, que oferece cada vez mais chances no Rio, abriu mais uma seleção pública para profissionais de níveis Médio e Superior. Desta vez, a subsidiária de logística da Petrobras, a Transpetro, abriu 145 vagas mais cadastro reserva. As chances são para cargos como técnico ambiental, técnico de administração e controle, técnico de contabilidade, bibliotecário, engenheiro (automação, elétrica, geotécnica, mecânica, naval) e médico do trabalho, entre outras. Os salários podem chegar a R$ 7.416, mais os benefícios.

Para quem vai disputar cargo de Nível Médio, a prova objetiva será composta por 20 questões de conhecimentos básicos e 40 de conhecimentos específicos. Serão cobradas as disciplinas de Língua Portuguesa (10 questões) e de Matemática (10 questões), além de outras matérias específicas, de acordo com a função pretendida.

No caso de quem possui Nível Superior, a prova será constituída por 20 questões de conhecimentos básicos e 50 de específicos. As disciplinas exigidas são Língua Portuguesa (10 questões) e Língua Inglesa (10 questões), além de outras de acordo com o cargo desejado.

O candidato deve ficar atento ao estilo da banca, a Fundação Cesgranrio. Segundo Marcelo Marques, diretor do Concurso Virtual, a organizadora cobra todo o conteúdo exigido no edital. “A dica, neste caso, é estudar de maneira homogênea todo o conteúdo”, orienta o especialista.

Segundo Marques, a organizadora costuma apresentar pegadinhas nos exames, por isso todo cuidado é pouco. “É fundamental ter muita atenção e senso crítico. O equilíbrio emocional é outro ponto importante. De qualquer forma, as provas apresentam nível moderado de dificuldade”, explica.
Inscrições a partir de quarta-feira

Para se inscrever no concurso, que oferece chances de níveis Médio e Superior da Transpetro, basta acessar o site da organizadora, a Fundação Cesgranrio, entre os dias 18 de abril e 6 de maio: www.cesgranrio.org.br. A taxa de participação é de R$40 (Nível Médio) e R$ 55 (Superior).

Os candidatos poderão confirmar as inscrições no site da banca a partir do dia 6 de junho. De acordo com a Transpetro, a previsão é que as provas objetivas para todos os cargos sejam aplicadas no dia 10 de junho. Os resultados finais deverão ser divulgados no dia 6 de julho.

Na Marinha Mercante

Em meados de fevereiro, a Transpetro abriu seleção pública para 602 vagas nos cargos de 2º oficial de náutica e 2º oficial de máquinas da Marinha Mercante. Do total de oportunidades, 280 são para início imediato e 322 para formação de cadastro reserva. Os salários são a partir de R$ 7.964,11.
Além da remuneração, selecionados terão direito a auxílio-creche, ensinos Pré-escolar, Fundamental e Médio, plano de saúde, participação nos lucros e resultados, entre outros.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 16 de maio, por meio do site da Transpetro: www.transpetro.com.br. Para participar, é necessário ter no mínimo 18 anos e possuir registro de aquaviário, de acordo com a Norma da Autoridade Marítima (Normam 13).

segunda-feira, 9 de abril de 2012

[CONCURSO] Marinha abre 50 vagas para nível superior

Marinha abre 50 vagas para nível superior
Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
29/03/2012 | 15h21

A Marinha Mercante abriu novo processo seletivo que deve classificar 50 profissionais de nível superior para o curso de adaptação a segundo oficial de máquinas. Durante os sete meses do curso, que será realizado em Belém (PA), os alunos terão direito a R$ 700, auxílio transporte e alimentação. Podem participar da seleção apenas bacharéis em engenharia ou tecnologia de ambos os sexos.

O prazo para inscrições vai até 29 de abril e inclui taxa de R$ 50. O processo seletivo é composto por prova objetiva — em 27 de maio —, testes físicos, período de adaptação e verificação de documentos, todas de caráter eliminatório. De acordo com o Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (Ciaga), organizador do concurso, o teste de conhecimento engloba as disciplinas de inglês, português, matemática e física. Apenas os 50 candidatos escolhidos poderão fazer a matrícula para o curso, que começa no dia 6 de agosto.

Do Correio Braziliense

domingo, 8 de abril de 2012

[INFORMAÇÃO] Fim das Tatuagens e Outras Mudanças

Extraído da 'Agência Câmara de Notícias'

22/03/2012 09:37

Comissão aprova novas regras para ingresso nas carreiras do Exército

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional aprovou nesta quarta-feira (21) o Projeto de Lei 2844/11, do Executivo, que busca incorporar à legislação os requisitos para ingresso nos cursos de formação de oficiais e sargentos de carreira do Exército, após aprovação em concurso público.

O texto aborda pontos como limites de idade, idoneidade moral e bons antecedentes, cumprimento das obrigações eleitorais e do serviço militar, condições psicofísicas e limites máximo e mínimo de altura.

O texto foi aprovado com emendas do relator, deputado Hugo Napoleão (PSD-PI). O parlamentar ampliou a proibição de tatuagens, incluindo aquelas cujas dimensões ou natureza prejudiquem a camuflagem e comprometam as operações militares; a proibição do casamento para ingresso no curso preparatório de cadetes; nos cursos de formação de oficiais, do Quadro de Material Bélico e do Serviço Intendência; e no curso de formação de sargentos das diversas qualificações militares. O relator também apresentou emenda que fixa o prazo de cinco anos para o ingresso de mulheres na linha militar bélica de ensino.

“Serão necessárias medidas para a adequação das instalações físicas dos estabelecimentos de ensino nos quais irão ingressar integrantes do segmento feminino. Também precisamos de determinações para revisão e adequação do conteúdo programático dos cursos”, afirmou.

Exigências
Conforme a proposta, para ingresso nos cursos de formação de oficiais, o candidato deve ser brasileiro nato. Já os cursos de formação de praças destinam-se tanto a brasileiro nato quanto a naturalizado que tenha concluído o ensino médio.

A matrícula nos cursos de preparação de cadetes e de formação de oficiais e sargentos caracteriza o momento de ingresso no Exército. Os requisitos de ingresso incluem também aprovação em exame de conhecimentos gerais ou específicos, conforme o caso; em inspeção de saúde, em teste de aptidão física e em avaliação psicológica, além de cumprimento das obrigações do serviço militar e da Justiça Eleitoral.

Idades e alturas
A altura mínima exigida é de 1,60 metro para homens e 1,55 metro para mulheres. Os limites de idade variam de 16 a 36 anos, conforme a carreira pretendida. Por exemplo, para admissão no curso preparatório de cadetes, a idade exigida varia de 16 a 21 anos. Já os candidatos a oficiais médicos, dentistas, farmacêuticos e do quadro complementar poderão ter no máximo 36 anos.

O candidato também não poderá possuir tatuagem que faça alusão a ideologia terrorista ou extremista, violência, criminalidade, ideia ou ato libidinoso, discriminação ou preconceito de raça, credo, sexo ou origem ou ainda ideia ofensiva às Forças Armadas.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Link do Projeto:  http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=529896


Edição – Oscar Telles
Reportagem – Marcelo Westphalem

[INFORMAÇÃO] MPF tenta prevenir deserções

Extraído do Site do MPF:


MPF/RS e MPM buscam estratégias para prevenir deserções no Exército

Medida deve-se ao expressivo número de deserções ocorridas no biênio 2005-2006 na região de Santa Maria.

Os Ministérios Públicos Federal e Militar em Santa Maria (RS) instauraram um inquérito civil público visando encontrar estratégias eficazes e preventivas para a redução da prática do crime de deserção. O inquérito, assinado pelo procurador da República Rafael Brum Miron e pelos promotores da Justiça Militar Jorge Cesar de Assis e Soel Arpini, destaca que a deserção é um crime propriamente militar, que permite a prisão independentemente de ordem judicial, conforme o inciso LXI, do artigo 5º, da Constituição Federal.

A medida deve-se ao expressivo número de deserções ocorridas no biênio 2005-2006 em organizações militares na área de jurisdição da 3ª Auditoria da 3ª Circunscrição Judiciária Militar, com sede em Santa Maria e abrangendo as regiões oeste e norte do Rio Grande do Sul. De acordo com o promotor da Justiça Militar Soel Arpini, enquanto em 2003 o número de processos contra deserções era de apenas sete; em 2005 passou para 39; chegando a 44 em 2006.

As principais causas dessa situação são as administrativas, conclui ele. "Quando uma pessoa é convocada para servir, deve-se dar preferência para alguém que resida próximo à organização militar, pois aqueles que residam distantes não receberão auxílio-transporte, e, como o soldo é de pouco mais da metade do salário mínimo, o deslocamento torna-se muito difícil", explica. Quem mora num raio de até 75 quilômetros tem direito ao vale-transporte. Acima disso, perde esse direito.

É considerado desertor do serviço militar o jovem que se ausenta mais de oito dias do quartel sem justificativa.

Juarez Tosi
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Rio Grande do Sul
Telefones (51) 3284.7370 ou 84239146.

[INFORMAÇÃO] Salário Mínimo no Serviço Militar

Extraído do site do MPF:

Ação pede pagamento de salário mínimo a jovens que prestam serviço militar

Autores querem intimação dos ministros do Planejamento e da Defesa.

O Ministério Público Federal, Ministério Público Militar e a Defensoria Pública da União ingressaram na Justiça Federal de Santa Maria com ação civil pública para que a União passe a pagar, a partir do próximo ano, ao jovem que está prestando o serviço militar obrigatório e às praças especiais remuneração mensal não inferior ao salário mínimo nacional.

Os autores da ação, promotores da Justiça Militar Jorge Cesar de Assis e Soel Arpini, o procurador da República Rafael Brum Miron e o defensor público da União Henrique Guimarães de Azevedo, pedem, ainda, que os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Defesa, Nelson Jobim, sejam intimados pessoalmente, visando assegurar o cumprimento de decisão.

Nos últimos cinco anos ocorreram muitas deserções naquela circunscrição judiciária, sendo que as principais alegações sustentadas pelos militares desertores são de que a prática do ilícito decorre de problemas sociais, em especial à insuficiência de remuneração recebida das Forças Armadas.

A investigação mostrou que os soldados que cumprem o serviço militar inicial recebem, atualmente, o valor bruto atual de 207 reais, quantia que não atende as necessidades básicas daqueles que também devem ser considerados como cidadãos. “Grande parte dos soldados que presta o serviço militar obrigatório é egressa das camadas mais carentes da população brasileira, a qual mais necessita de uma melhor remuneração para fins de diminuição de sua mazela social, tal qual o objetivo do salário mínimo”, acrescentam os autores da ação.

Essa não é a primeira vez que os Ministérios Públicos Federal e Militar atuam conjuntamente. Em janeiro deste ano, os dois órgãos ajuizaram ação civil pública visando a implantação do serviço militar alternativo aos cidadãos que alegam “escusa de consciência” para não prestarem o serviço militar obrigatório, como estabelece a Constituição Federal.

Juarez Tosi
Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Rio Grande do Sul
(51) 3284.7470
ascom@prrs.mpf.gov.br

[BRINDE] Ganhe uma Assinatura de Aviação Grátis

Recomendo esta revista para todos que gostam de Aviação (Militar e Comercial), entre no site:
http://www.arabianaerospace.aero/

Entre em "Subscribe Free".

Aproveitem, tem alta qualidade e é totalmente gratuita.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

[INFORMAÇÃO] Forças Armadas não poderão mais fixar em edital limite de idade

Publicação: 10/02/2011 16:31
Débora Zampier – Da Agência Brasil

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nessa quarta-feira (9) que a partir de janeiro de 2012 as Forças Armadas não poderão mais exigir, por meio de edital, limite de idade para admissão em concurso. Os ministros entenderam, por unanimidade, que é inconstitucional a imposição de limite idade por intermédio de ato administrativo, uma vez que a Constituição determina que só uma lei pode fazer isso.

Os ministros também decidiram que quem entrou na Justiça contestando o limite de idade nos concursos das Forças Armadas terá esse direito assegurado.

O julgamento do caso começou em março do ano passado e foi interrompido por dois pedidos de vista. Estava em discussão um pedido da União para anular decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que permitiu que um candidato se inscrevesse no curso para formação de sargentos em 2008 com idade maior que a estabelecida.

Segundo o voto da relatora Cármen Lúcia, além de ser inconstitucional, o limite de idade por meio de edital esbarra em uma súmula vinculante do STF. A Súmula 14 determina que “não é admissível por ato administrativo restringir em razão da idade inscrição em concurso para cargo público”.